Pashupatinath – Templo do Senhor dos Animais

Vista Geral do Templo de Pashupatinath

O mais sagrado santuário dedicado a Shiva que há no Nepal, antigo reino encravado nos Himalayas, e hoje república. O templo é  tão importante para os devotos , a ponto de se referirem a Katmandu como  “a terra do templo de Pashupatinath”. 

Pashupatinath

Subindo pela margem ocidental do rio Bhagmati, o principal do vale de Kathmandu, a cerca de 7 km da capital, encontramos um belo conjunto de pequenos templos, estátuas e imagens de deuses hindus, como Ganesha, Karttikeya, Hanuman, Lakshmi, Vishnu e, até mesmo o Buddha, entre outros.

o rio sagrado onde são feitos os rituais de purificação e cremação e onde as cinzas são jogadas

Nesse sítio sagrado, existem também, numerosos santuários, cada qual com um ” lingam (falo) de Shiva”( Shivalingam), e outros muitos lingans , também ao ar livre , espalhados  por todo lugar , erigidos em diversas épocas, por personagens importantes do reino, além de várias estátuas deles próprios.

ghats da cremação

O lingam, para os hindus tem um significado sagrado ( não sexual), pois representa uma das fazes mais importantes da divindade Shiva, a fertilidade, a união do céu com a terra, a criação.

eu junto a um "LIngam de Shiva"

local da cremação

Os “ghats” (degraus) que levam às águas do rio onde são feitos os banhos rituais e de purificação. As plataformas de pedra,  onde se fazem as cremações dos corpos e de onde, no mesmo rio em que se banham, são lançadas suas cinzas. 

Sadhu

 No local podem ser vistos sadhus, homens santos, que vêm de diversos locais do país e ficam sentados em diversos  lugares do templo, a espera de donativos dos milhares de devotos que  por ali transitam.

 São figuras estranhas, para nós ocidentais, e se quisermos tirar fotos com eles, não tem problemas, temos apenas que oferecer uma gorjeta.

 

No meio desse amontoado de seres reais e fantásticos, ergue-se o Templo do Senhor dos Animais, local de peregrinação para hindus, desde todo o Nepal até o sul da Índia.

entrada do templo, vendodo-se no alto a figura de Lord Shiva e abaixo o touro Nandi

Ritual de purificação

Aqui se comemora o festival anual de Shivaratri, uma noite dedicada ao Senhor Shiva, que cai geralmente na última semana de Fevereiro, numa terça-feira. 

o rio sagrado

Não se sabe exatamente  quem, ou quando foi construído o templo (como de resto pouco se sabe sobre a História nepalesa antes do sec. XVI).

preparando o corpo para cremar

gaths de cremação

Acredita-se que a construção tenha sido erguida no sec. IV, pelo príncipe Pusoopush Deo, o quarto príncipe da dinastia Sooryabamsi, que o dedicou a Pashupati Mahadeva. E depois teria sido reformado, também, que no sec. VIII , por Adi Shankaracharya.

uma das muitas estátuas, representações da criação divina, da fertilidade... segundo a crença hindu

 Em 1349, o sultão Shamsuddin, de Bengala, invadiu o templo e lhe causou grandes estragos, principalmente a suprema ofensa de ter quebrado o  Shivalingam. Mas o “lingam” de Shiva foi reposto, dez anos mais tarde, em 1359, por um Primeiro Ministro dos reis Malla.

O LIngam de Shiva, no Templo

O templo foi reconstruído em 1697, pelo rei Bhupalsingh Malla, depois de ter sido destruído por cupins e apenas aos hindus  é  permitido a entrada no templo .

Os visitantes não hindus tem que se conformar pois só é permitido  dar uma olhada do outro lado da margem do  rio Bagmati.

O templo tem o formato de um  grande pagode, com dois telhados cobertos de metal dourado, Em frente ao portão sul, há várias imagens também douradas de reis e rainhas da dinastia Shah.

o templo em estilo pagoda

No interior do templo há somente o “Lingam de Shiva” (Shivalingam),  com quatro faces dele próprio. É uma escultura de pedra, cilíndrica (o falo, representa o eixo do mundo),  o poder do deus que une o céu e a terra – o infinitamente superior e o infinitamente inferior  e que olha e pode ser olhado dos quatro pontos cardeais (as quatro faces).

A figura imponente de Shiva na entrada to templo

GAnesha ao lado de seu pai Lord Shiva, na entrada do templo

 Na  face oeste do lingam, há uma enorme estátua dourada do touro Nandi,,  montaria preferida de Shiva., com seus testículos em evidência lembrando os antigos deuses teromorfos da fertilidade.

a estatua do touro Nandi, revestida de dourado, guarda a entrada do templo

  Ganesha, o mais popular e reverenciado dos deuses hindus, aquele que traz fartura, boa sorte e abundancia o que remove os obstáculos.

o rio sagrado

Lord Shiva temenrolada no pescoço uma serpente que lhe serve de colar e dois rios descem do Himalaya por seus cabelos  e passam a seu lado, à direita e à esquerda.

ao fundo o templo de Shiva

Os rios que alimentam a vida, a fertilidade da terra, como o Bhagmati, o Ganges e todos os outros, são como os fios de sua cabeleira. Shiva é considerado a própria montanha, o próprio Himalaya. 

Visitar esse local é um grande desafio  pois entramos em contato com  duas faces do existir:  a beleza e a sujeira . Elas se encontram a nossa frente e nos ensinam a fazer uma profunda reflexão em nossos valores e na maneira com a qual olhamos o mundo.    E a escolha do “ver” é nossa.

Tudo é aquilo que lhe parece ser

 

Anúncios

Publicado em 17 de abril de 2010, em Nepal. Adicione o link aos favoritos. 2 Comentários.

  1. Vou para o Nepal e não tinha idéia do que iria encontrar lá. Com este site me localizei? Foi ótimo!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: