DHRUPAD – O Canto Sagrado Hindu

A intenção de fazer esse Blog é partilhar com vocês um pouco das experiências que tive viajando pelo Oriente, especialmente Índia, Nepal, Tibet e Butão Assim, a cada “post” falo um pouco dos projetos e instituições que visitei pessoas que fazem a diferença, monumentos, templos e mestres especiais, a cultura, costumes e tudo mais que considero interessante nesses países milenares.

Sarasvati , a deusa da música, das artes…

Nesse post vou apresentar  uma arte muito antiga e hoje quase desaparecida:  a Arte Dhrupad, antiga musica vocal clássica da Índia, que estabelece  um equilíbrio harmônico entre a voz, o corpo e a mente . Apesar de uma arte clássica altamente desenvolvida com uma gramática complexa e elaborada e estética, é principalmente uma forma de culto, em que as oferendas são feitas para o divino através de som ou Nada. A tradição vocal  é baseada na prática de Nada Yoga, mas também é realizada através de  instrumentos como o Rudra Veena e o Sursringār.

Os Instrumentos

Gozava de grande popularidade até o século XVII ou início do XVIII. Hoje essa arte é passada de mestre para discípulo e são poucas as pessoas que se dispõe a aprender.  Por toda a história que ela encerra, é muito difícil de ser aprendida como também difícil para ser compreendida, admirada e ouvida.

Ashish Sankrityayan

Um dos expoentes dessa tradição  chama- se:  Ashish Sankrityayan…...

Ele  divulga a tradição Dhrupad  em concertos públicos e privados e também ministra workshops e faz palestras em diversas Universidades e Conservatório por toda a  Europa e também na Índia .

 

Ashish Sankrityayan, em alguns dos concertos

Tive o grande e especial prazer de conhecê-lo, e a sua arte de uma forma inusitada, em Nova Délhi, no Ashram de Sri Aurobindo, onde estávamos coincidentemente hospedados. De fato, nessa vida, nada acontece por acaso. Ashish é uma daquelas pessoas que quando olhamos gostamos. A paz e suavidade que emana da sua “figura” contagia a todos.

Lembro que era dia do meu aniversário, 31 de março de 2000, e tive o privilegio de passar na Índia. Após o jantar, o grupo que estava comigo me fez uma surpresa , comprando  um bolo para comemorar . Convidaram  ,para a ocasião, a diretora do Ashram e coordenadora de todo o trabalho de Sri Aurobindo na Índia, Tara Jauar, filha adotiva de Mestre Aurobindo e “The Mother”. Na hora dos parabéns, cantado bem baixinho para não perturbar o silencio do local, aparece de repente, um homem, trajando uma túnica branca, entra do recinto onde estávamos e fica em silencio observando a celebração.

Foi quando  Tara, o chamou para fazer parte do nosso grupo, avisando que estávamos comemorando um aniversario. Partimos o bolo, distribuímos com todos, incluindo nosso convidado. Comemos em silencio e após terminar, Ashish falou que gostaria de oferecer um presente a aniversariante, em retribuição ao acolhimento que tivemos com ele . Pediu que esperássemos um pouco e rapidamente retornou com um instrumento nas mãos e convidou a todos para segui-lo até outro salão. Nos sentamos , ele também se sentou bem em minha frente. E  cantou e tocou.

Uma noite inesquecível. O concerto exclusivo para nosso grupo

Nunca tinha ouvido uma musica de tamanha beleza, suavidade e delicadeza. A voz que acompanhava os acordes emitia sons desconhecidos para nós, parecia vinda de outra dimensão. Imaginem a cena. Um salão, na penumbra, com um anjo cantando e tocando, vestido de branco. Só faltaram as asas,  rs rs rs.

Ao final desse inesperado e maravilhoso “concerto”, Tara Jauar  o apresentou  ao grupo e só então soubemos quem ele era . A essa altura estávamos todos cativados e encantados pela sua musica e por sua pessoa que tocava e falava com uma simplicidade ímpar, em um inglês perfeito. A conversa continuou, excepcionalmente, vez que os horários de recolhimento do Ashram são rígidos, com a devida aquiescência da nossa anfitriã. Um encontro inesquecível..

Ashish com seu mestre, sendo iniciado para dar continuidade a divulgação da tradição

 Dessa forma, inusitadamente, conheci um importante Mestre da tradição Dhrupad, que aprendeu de outro mestre e assim sucessivamente.Estivemos juntos  mais uma vez, quando retornei a Índia e desde então ficamos amigos. Recebo  noticias dele, da sua família, dos CD’s gravados, dos concertos que faz em vários países do mundo  divulgando, através da sua mestria,  essa tradição ancestral.

Um dia quero  convidá-lo para vir ao Brasil. Com certeza  sua musica tocará os corações das  pessoas que tem a sensibilidade para entender o significado da arte Dhrupad.

 

 http://dhrupad1234.wordpress.com/2009/06/23/dhamar-lalit-ashish-sankrityayan/

Anúncios

Publicado em 14 de outubro de 2012, em Índia e marcado como , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , . Adicione o link aos favoritos. 1 comentário.

  1. mara Rubia Gazzana

    Bom dia ,vc tem programação de viagens culturais?

    Mara Rubia Gazzana Enviado de iPad

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: